“Se der medo, vá com medo.”
next »
Eu me chamo antônio. Mentira, é Marcos.
“Quanto mais sei, sei que nada sei.”
“E lá estava eu, deitado em uma rede na varanda de minha casa, estava com meu óculos de leitura, pois estava lendo um livro que aparentemente parecia ser muito bom e com uma xícara de café ao lado para acompanhar a leitura. Podia passar horas ali e não me importava com o tempo, pois esse era meu melhor momento, me sentia bem assim. Geralmente não recebo visitas, minha vida sempre foi meio vazia e isso ás vezes me deixa pensativo, mas logo retorno ao meu recanto que me faz sentir bem. Mas nesse dia ouvi alguém bater em minha porta, e então fui ver quem era. Quando abro a porta me deparo com uma linda moça, com olhos grandes e castanhos, seu sorriso era deslumbrante e me deixou espantando. Gaguejei um pouco e perguntei se podia ajudar, logo ela me encheu de perguntas e eu sem saber responder fui apenas enrolando. Tive a iniciativa de convidá-la para tomar café, e para minha surpresa ela aceitou. Conversamos um pouco e descobri que ela havia se mudado a pouco tempo, e não sabia nada da cidade e perguntou se eu não podia apresentá-la para ela. Mas logo eu que não saio de casa, que me isolo de tudo e de todos, irônico. Depois de algumas horas de conversas ela se despediu, disse que estava tarde e deveria ir, seus cabelos balançavam com o vento, e seu cheiro … ah, era algo diferente, estava me sentindo diferente.”
theme + details + details



Posted Há 1 mês with 13.742 notas · reblog this
originally evanjellion via doistonsdeamor


(Fonte: retroanimu)



Posted Há 1 mês with 2.412 notas · reblog this
originally retroanimu via cohst


(Fonte: espeliarmus)



Posted Há 1 mês with 30.788 notas · reblog this
originally espeliarmus via doistonsdeamor


(Fonte: senpais)



Posted Há 1 mês with 241.142 notas · reblog this
originally senpais via longful


(Fonte: toeianimation)



Posted Há 1 mês with 170 notas · reblog this
originally toeianimation via atoms


Eu espero por alguém que talvez nunca venha.
Carolline Libório.  (via animiciar)


Posted Há 1 mês with 1.466 notas · reblog this
originally animiciar via animiciar


(Fonte: ultimosonho)



Posted Há 1 mês with 49.612 notas · reblog this
originally ultimosonho via sutilizar-se


Um café e um amor. Quentes, por favor. Pra ter calma nos dias frios, pra dar colo quando as coisas estiverem por um fio.
— Caio Fernando Abreu. (via desvaneceram)

(Fonte: NERDBIPOLAR)



Posted Há 1 mês with 18.825 notas · reblog this
originally nerdbipolar via desvaneceram




Posted Há 1 mês with 148.934 notas · reblog this
originally touchdisky via longful


Algum dia, de alguma forma, tudo vai ficar bem.
Nickelback.  (via auroriar)

(Fonte: v0ceeumapartedemim)



Posted Há 1 mês with 118.686 notas · reblog this
originally nobroke via auroriar




Posted Há 1 mês with 321 notas · reblog this
originally invernadouro via invernadouro


Você sabe o que sente, mas, finge que não sente nada, para tentar não sentir.
Orquestrando.   (via revejo)

(Fonte: orquestrando)



Posted Há 1 mês with 84.363 notas · reblog this
originally orquestrando via revejo


(Fonte: sabot-cat)



Posted Há 1 mês with 2.179 notas · reblog this
originally sabot-cat-deactivated20140807 via antipoetico


Não foi dessa vez, da outra também não foi, e muito menos da outra. Meu medo é esse, a minha vez nunca chegar.
Thiara Macedo. (via recontador)

(Fonte: sociedadedospoetasmortos.com)



Posted Há 1 mês with 4.801 notas · reblog this
originally thiaramacedo via recontador


(Fonte: blackasaurus)



Posted Há 1 mês with 174.460 notas · reblog this
originally blackasaurus via tarimbado