“Se der medo, vá com medo.”
« previous next »
Eu me chamo antônio. Mentira, é Marcos.
“Quanto mais sei, sei que nada sei.”
“E lá estava eu, deitado em uma rede na varanda de minha casa, estava com meu óculos de leitura, pois estava lendo um livro que aparentemente parecia ser muito bom e com uma xícara de café ao lado para acompanhar a leitura. Podia passar horas ali e não me importava com o tempo, pois esse era meu melhor momento, me sentia bem assim. Geralmente não recebo visitas, minha vida sempre foi meio vazia e isso ás vezes me deixa pensativo, mas logo retorno ao meu recanto que me faz sentir bem. Mas nesse dia ouvi alguém bater em minha porta, e então fui ver quem era. Quando abro a porta me deparo com uma linda moça, com olhos grandes e castanhos, seu sorriso era deslumbrante e me deixou espantando. Gaguejei um pouco e perguntei se podia ajudar, logo ela me encheu de perguntas e eu sem saber responder fui apenas enrolando. Tive a iniciativa de convidá-la para tomar café, e para minha surpresa ela aceitou. Conversamos um pouco e descobri que ela havia se mudado a pouco tempo, e não sabia nada da cidade e perguntou se eu não podia apresentá-la para ela. Mas logo eu que não saio de casa, que me isolo de tudo e de todos, irônico. Depois de algumas horas de conversas ela se despediu, disse que estava tarde e deveria ir, seus cabelos balançavam com o vento, e seu cheiro … ah, era algo diferente, estava me sentindo diferente.”
theme + details + details

E no meio daquela confusão toda, ela perguntava quase chorando: — Tem certeza que quer isso? — E eu respondia que sim, porque era orgulhoso demais pra ouvir o meu coração e dizer que não, orgulho demais pra dizer, volta aqui, eu te amo.
Poxa, Bia.  (via autorias)

(Fonte: finais)



Posted Há 1 mês with 2.585 notas · reblog this
originally finais via autorias




Posted Há 1 mês with 567.529 notas · reblog this
originally discolor3d via palavrisses


(Fonte: the-thousand-synonyms-of-love)



Posted Há 1 mês with 25.226 notas · reblog this
originally the-thousand-synonyms-of-love via n-o-v-o-h-e-r-o-i


Pra te esquecer eu rodei três galáxias. Visitei uns vinte planetas e fiz até um reino. Eu bebi um pouco, admito. Fiz tudo que você sempre odiou. Eu deixei a barba crescer, evitei de falar sobre o assunto. O engraçado é que quanto mais eu tentava esconder, mas aparecia. Aí larguei. Arrumei a casa, dei uma geral até no quarto. Larguei a bebida, fiz a barba e comecei a passar as minhas camisas. Eu era desastrado com você, aí virei outro cara. O cara que você aprovaria, mas não gostaria. O cara que poderia te fazer feliz, mas não poderia te fazer amar. Porque você é certa. Porque teu quarto é arrumado, mas a tua vida é uma bagunça. Quer dizer, se eu tivesse sido o cara que você esperava que eu fosse, não ia ter nem um comecinho. Você provavelmente teria me dado um pé na bunda desastroso e ficaria com o primeiro filho da puta que aparecesse. Mas no caso, eu fui o filho da puta. E indo por essa lógica, vários outros caras legais já devem ter aparecido. Mas você é preto no branco. Você afirma gostar daquele cara sem graça, que ri das tuas piadas mas não te faz rir das dele. E pra te esquecer eu tive que me virar pra me tornar um desses caras. Eu tentava não ser sem graça contigo, mas te deixar sem graça. Nunca ri das tuas piadas, porque teu senso de humor sempre foi bom, mas tuas piadas eram péssimas. E o que mais eu fiz pra te esquecer? Larguei aqueles lugares qualquer. Tu sempre reclamou muito dos lugares que eu frequentava. E sempre afirmou que odiava essa minha mania de ser todo errado. Mas peraí, garota certa, você sempre gostou. Reclamava mas nunca teve coragem de largar e procurar alguém certo. Porque você nunca foi toda direitinha. Quem dirá certa. Pra esquecer você eu tive que me dobrar. E foi tudo uma grande de uma perda de tempo. Porque até conhecendo galáxias, visitando planetas e mudando, tu continuou aqui. E se eu fiz essa merda toda pra te esquecer, então me fala o que tu fez pra me fazer gostar. Porque tá foda.
robin and stubb.  (via palavrisses)

(Fonte: tajmahhal)



Posted Há 1 mês with 5.889 notas · reblog this
originally tajmahhal via palavrisses


Vocês querem saber porque esta história acabou? Por que eu gosto muito de dar ordens. Se as coisas não saem do jeito que eu quero, eu mando aumentar a guitarra, mando abaixar a guitarra, mando fazer isso… Mas isso você não pode fazer, principalmente no amor. Eu nem sei direito o que é o amor. E você não pode ter uma relação de força, de poder, sabe? Tem que ser uma outra coisa. E eu já sofri muito na vida por causa disso, sabia? Tanta gente já foi embora da minha vida por causa disso. Porque eu sou mandão, “com a melhor das intenções”.
Renato Russo durante Ainda é cedo  (via palavrisses)


Posted Há 1 mês with 5.055 notas · reblog this
originally menstruar-deactivated20140622 via palavrisses


Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida. Quando eu fui para a escola, me perguntaram o que eu queria ser quando crescesse. Eu escrevi ‘feliz’. Eles me disseram que eu não entendi a pergunta, e eu lhes disse que eles não entendiam a vida.
John Lennon (via palavrisses)

(Fonte: c-a-n-a-r-i-o)



Posted Há 1 mês with 105.149 notas · reblog this
originally c-a-n-a-r-i-o via palavrisses


(Fonte: behance.net)



Posted Há 1 mês with 3.871 notas · reblog this
originally 1000drawings via asasdecetim


Eu era a sua reticências e você se tornou o meu ponto de interrogação.
O Diário de Sofi.    (via aprendizdepoeta)

(Fonte: Expurgar)



Posted Há 1 mês with 12.415 notas · reblog this
originally expurgar via aprendizdepoeta




Posted Há 1 mês with 6.182 notas · reblog this
originally nadaduraparasempre via aprendizdepoeta


E lá estava eu, deitado em uma rede na varanda de minha casa, estava com meu óculos de leitura, pois estava lendo um livro que aparentemente parecia ser muito bom e com uma xícara de café ao lado para acompanhar a leitura. Podia passar horas ali e não me importava com o tempo, pois esse era meu melhor momento, me sentia bem assim. Geralmente não recebo visitas, minha vida sempre foi meio vazia e isso ás vezes me deixa pensativo, mas logo retorno ao meu recanto que me faz sentir bem. Mas nesse dia ouvi alguém bater em minha porta, e então fui ver quem era. Quando abro a porta me deparo com uma linda moça, com olhos grandes e castanhos, seu sorriso era deslumbrante e me deixou espantando. Gaguejei um pouco e perguntei se podia ajudar, logo ela me encheu de perguntas e eu sem saber responder fui apenas enrolando. Tive a iniciativa de convidá-la para tomar café, e para minha surpresa ela aceitou. Conversamos um pouco e descobri que ela havia se mudado a pouco tempo, e não sabia nada da cidade e perguntou se eu não podia apresentá-la para ela. Mas logo eu que não saio de casa, que me isolo de tudo e de todos, irônico. Depois de algumas horas de conversas ela se despediu, disse que estava tarde e deveria ir, seus cabelos balançavam com o vento, e seu cheiro … ah, era algo diferente, estava me sentindo diferente.
Um Homem Solitário.  (via revejo)


Posted Há 1 mês with 852 notas · reblog this
originally revejo via revejo


Eu me sinto muito confortável quando estou com você. É surpreendente, porque geralmente eu não me sinto confortável perto de… Bom, ninguém.
The Big Bang Theory.  (via sujeitando)

(Fonte: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)



Posted Há 1 mês with 37.405 notas · reblog this
originally s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r via sujeitando


Mas ficou tudo fora de lugar. Café sem açúcar, dança sem par.
Cazuza (via auroriar)

(Fonte: relicariodemim)



Posted Há 1 mês with 42.518 notas · reblog this
originally relicariodemim via auroriar




Posted Há 1 mês with 32.082 notas · reblog this
originally sexual-passion via naughty-couples


(Fonte: wolkesieben-siebtehoelle)



Posted Há 1 mês with 90.347 notas · reblog this
originally wolkesieben-siebtehoelle via infeccion


(Fonte: bicicletaparadois)



Posted Há 1 mês with 25.390 notas · reblog this
originally bicicletaparadois via exxxcitada